News
Loading...

Duas crianças ainda estão desaparecidas após naufrágio no Rio Madeira

O Corpo de Bombeiros do Amazonas confirmou na noite desta quinta-feira (9) o número oficial de vítimas do naufrágio de uma lancha ocorrido no Rio Madeira, nas proximidades do porto de Nova Olinda do Norte, a 135 quilômetros de Manaus. Segundo o órgão, duas pessoas continuavam desaparecidas, sendo duas crianças de idades não confirmadas. Outras 18 pessoas foram resgatadas e hospitalizadas, totalizando 20 passageiros na embarcação.
lancha3
Tanto os bombeiros quanto a Marinha do Brasil enviaram reforços para os trabalhos de busca após o naufrágio. Segundo os dois órgãos, a lancha chamada Vó Mulata afundou no final da manhã, por volta das 12h30. A embarcação saiu da comunidade de Rosarinho, em Autazes, a 113 quilômetros de Manaus, faria parada em Nova Olinda do Norte, e seguiria viagem para Borba, a 151 quilômetros da capital, quando apresentou problemas e afundou. As causas do acidente estão sendo investigadas.
Todos os 18 sobreviventes foram resgatados e encaminhados ao Hospital de Nova Olinda do Norte Dr. Galo Manoel Ibanes. O estado de saúde deles não foi confirmado. Entre os passageiros também havia indígenas, segundo informou Gilmar Assunção, coordenador da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Nova Olinda.
Conforme a PM, a embarcação tombou e, em seguida, naufragou. “A lancha expresso perdeu a direção e tombou, vindo afundar, e por conta da correnteza do rio os tripulantes foram para baixo de uma balsa que estava parada no porto”, divulgou o órgão, em nota. “Existe a suspeita que o eixo de direção da lancha tenha quebrado e com a velocidade tenha acontecido o acidente”.
O delegado Mauro Roberto Canele, titular da Delegacia de Nova Olinda do Norte, está à frente das investigações. “Ele não tem informação concreta para passar porque está em diligência, mas vamos reunir dados e divulgar”, disse a assessoria de imprensa da Polícia Civil. O piloto da lancha foi conduzido até a delegacia para prestar depoimento. Até a noite, a Polícia Civil não havia se pronunciado sobre as investigações.
Fonte: Rondoniagora.
Share on Google Plus

Produção ROTA MAMORE

Mande sua sugestão de repostagem aqui. rotamamore@gmail.com ou ligue ou mande suas imagens no whatsap: (69) 99368-6667 ou 99261-1156. Sua identidade será mantida sob sigilo.