News
Loading...

PM que invadiu delegacia de Guajará-Mirim armado atrás de suspeito continua preso

PM segura arma dentro de delegacia atrás de suspeito
O policial militar que invadiu armado a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Guajará-Mirim no último dia 7 para tentar matar um suspeito que esfaqueou o pai dele continua preso no Complexo de Correição da Polícia Militar (PM) em Porto Velho. O soldado vai responder por tentativa de homicídio, roubo e desobediência, sendo que dois crimes serão na esfera militar e dois na justiça comum. 
O policial teve o relaxamento do flagrante na esfera militar, mas permanece preso porque ainda não houve posicionamento da justiça comum em relação ao pedido de revogação da prisão preventiva. 

Defesa
Em contato com o advogado José Maria Rodrigues por telefone na segunda-feira (22) para saber qual o próximo passo da defesa em relação ao caso. Ele não gravou entrevista, mas informou que fez o pedido de revogação da prisão preventiva, mas que o Ministério Público Estadual (MPE) ainda não se manifestou.
Rodrigues disse ainda que o estado de saúde do pai do militar é gravíssimo. A defesa entende que o policial estava revoltado e não praticou os crimes que estão sendo apontados contra ele. Outro fato citado pelo advogado é que o suspeito de ter desferido a facada está em liberdade e vai responder pelo crime simples de lesão corporal, mesmo a vítima correndo risco de vida. 

O caso
Um soldado da PM foi preso em flagrante no último dia 7 após invadir a 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil armado para tentar matar um homem suspeito de ter esfaqueado seu pai em um bar localizado no Bairro Liberdade em Guajará-Mirim (RO). O PM entregou a arma e foi detido horas depois no Hospital Regional Perpétuo Socorro.
Segundo a PM, o pai do militar foi esfaqueado à tarde. Assim que ficou sabendo do estado de saúde do pai, o soldado invadiu o prédio da delegacia com a arma em punho querendo encontrar o suspeito do esfaqueamento para matá-lo.
Várias guarnições foram chamadas para se deslocarem até o local. O PM ameaçou várias vezes atirar nos policiais civis e militares que tentavam convencê-lo a se entregar, em seguida passou a apontar a arma para sua própria cabeça.
Ainda segundo a PM, o soldado não conseguiu se aproximar da cela onde estava o suspeito e pulou o muro do 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM) e em seguida foi em direção ao hospital. Na unidade, ele foi informado que o pai ainda estava vivo. Cercado por policiais da 1ª Unidade Especializada de Fronteira (1ª Unesfron), ele entregou a arma e recebeu voz de prisão. 

Fonte: G1
Share on Google Plus

Produção ROTA MAMORE

Mande sua sugestão de repostagem aqui. rotamamore@gmail.com ou ligue ou mande suas imagens no whatsap: (69) 99368-6667 ou 99261-1156. Sua identidade será mantida sob sigilo.