News
Loading...

Caso Ciperon: entrevista exclusiva com advogado de educação vindo do Rio de Janeiro para esclarecer alguns fatos.


No dia (26) às 8 horas da manhã, foi realizada reunião na sede do Ciperon, em Nova Mamoré com o Dr. Júlio Cézar, advogado vindo do Estado do Rio de Janeiro, especialista em educação com muita experiência sobre esse tipo de caso, já atuou em diversas causas sobre educação em todo o país.

Em entrevista concedida ao site Rota Mamoré, o doutor Júlio Cézar nos esclareceu alguns assuntos.

Rota Mamoré: Sobre os documentos e certificados doCiperon, são falsos?
Júlio Cézar:Eu não examinei o caso por completo pois minha passagem por essemunicípio será muito rápida, que aliás eu gostei muito domunicípio, mas o suficiente para eu dizer o seguinte, não considero que haja documentos falsos, ou seja os diplomas não são falsos, porém o que vai ser discutido será, se esses diplomas têm legalidade ou não e eu acredito que não há falsidade em nenhum documento.

RM: Conversei com alguns alunos e segundo informações atualmente tem alguns advogados que estão prometendo ganhar as causas com os alunos, qual a sua opinião sobre essas atitudes?
JC: Os alunos têm todo o direito de ir buscar uma solução para o caso, quanto a advogados se oferecerem para defenderem esses direitos, eu alerto os alunos que este ramo do direito educacional é bastante complexo, é preciso que o profissional que foi contratado tenha muito conhecimento ou prática nesse ramo do direito.

RM: O Ciperon tem registro no MEC?
JC: O Ciperon é uma instituição educacional regularmente funcionando, o Ciperon não é uma instituição de ensino superior, o Ciperon não é uma instituição que tenha autorização do MEC para funcionar como uma instituição de ensino superior.

RM: O MEC tem controle dos diplomas?
JC:O MEC não tem controle dos diplomas, o MEC não tem como ter esse controle em um país com dimensões continentais, as faculdades são responsáveis pelo o que elas fazem e se fizer algo de errado a mesma instituição responde por seus erros.

RM: Na sua opinião, houve falha do sistema de fiscalização?
JC: Na minha opinião quanto a fiscalização, houve realmente uma falha no acompanhamento e fiscalização por parte do ministério público, e não é o MEC que faz esse trabalho de fiscalização.
RM: O Ciperon tinha autorização para oferecer cursos de ensino superior?
JC: O que eu pude constatar é que o Ciperon é uma empresa educacional que tinha convenio com faculdades e essas faculdades ofereciam os cursos na modalidade de extensão de extensão universitária, e esses cursos de extensão podem ser oferecidos fora da sede da instituição, o que não podem ser oferecidos fora de sede são os cursos de graduação.


Fonte: Rota Mamoré


Share on Google Plus

Produção ROTA MAMORE

Mande sua sugestão de repostagem aqui. rotamamore@gmail.com ou ligue ou mande suas imagens no whatsap: (69) 99368-6667 ou 99261-1156. Sua identidade será mantida sob sigilo.

1 comentários :

  1. Isso significa que todos irão perde, o tempo, o dinheiro e a graduação. Pq não existe, e sendo que eles aprovem a graduação, será o mesmo que inocentar ela, e aprovar a faculdade.

    ResponderExcluir